Futebol não é uma Ciência Exata.

Soccer City - Estacionamento no Deserto...

Até aqui não analisei a atuação de nenhuma seleção. Como já havia dito, tem muita gente muito mais qualificada para fazer isso e alguns deles estão logo aí à direita, em “Blogs que sigo”.

Mas Seleção Brasileira é outra conversa. Quero fazer meu comentário mesmo que passe por maluco, mesmo que corra o risco de rirem de mim. Eu vou falar o que acho e, às vezes, vou remar contra a maré. É o caso do texto de hoje.

Não deixei passar 24hs do jogo para falar sobre Brasil 2 x 1 Coréia do Norte à toa.

Li o que escreveram os nossos principais comentaristas. Li, também, muita coisa no Twitter e no Facebook vindo de gente que atua no meio esportivo.

A grande maioria não gostou da Seleção e alguns até exageraram falando em vexame.

Respeito. Mas vejo de forma diferente.

O bom de escrever só agora é que eu pude ver jogar cada um dos “favoritos” ao título, se é que isso existe em Copa do Mundo. E, ao ver a Espanha, hoje à tarde, concluí a minha análise da Seleção Brasileira.

Já vou adiantando que não vi nenhum bicho papão até aqui. Nenhum time que poderia ser considerado favorito e entrar em vantagem contra a Seleção Brasileira. E isso é um ótimo sinal! É claro que gostei de Argentina, Alemanha, Holanda e Espanha (mesmo com a derrota – vale ler a excelente análise do meu amigo e grande comentarista, Lédio Carmona, sobre a Espanha aqui ó: http://bit.ly/9GsalM

É claro que todos nós queríamos que a Seleção tivesse metido uma goleada no timeco da Coréia, mas o fato disso não ter acontecido não coloca o projeto da Seleção de ser campeã do mundo pela sexta vez em risco.

Vamos aos fatos.

Ontem, nós passamos um frio siberiano no Ellis Park, tanto que o Renato Prado chamou o estádio de “Gellis Park”. O bicho pegou, -6 graus de sensação térmica. Fui para o estádio vestido de um jeito que mais parecia uma cebola, tantas eram as camadas de roupa que vesti, mas nada adiantou, o frio venceu.

Agora, olha só o cenário: a seleção estava estreando na Copa, um frio siberiano, o adversário era fraco e ainda jogava no esquema tático 10-0 onde todo mundo defende, a entrada da área deles parecia é um congestionamento da Marginal Tietê.

O time controlou totalmente o primeiro tempo, com um percentual de posse de bola absurdo. No segundo tempo faz 2 x 0 com 2 gols espetaculares. O primeiro, de Maicon, uma pintura para ficar na história e com um lindo passe de Elano. E o segundo gol de Elano, num passe “à la Tostão” de Robinho, e uma finalização perfeita.

Com tudo isso, acontece o quê? O povo relaxa, claro, e acaba tomando um gol besta dos coreanos. Obviamente, nada que trouxesse preocupação para o time, muito superior ao adversário.

Robinho jogou muito, Maicon também, gostei do Juan, nas antecipações e do Elano na movimentação. E, para espanto dos críticos de plantão, gostei do Felipe Melo. No segundo tempo, vi Michel Bastos fazer umas gracinhas pela ponta esquerda, e isso é muito bom, mostra que está ganhando confiança para sair para o jogo. Nas faltas, Michel Bastos desperdiçou boas chances. Mas antes perder gols agora contra a Coréia do Norte do que depois, contra a Espanha. Digo isso partindo do princípio que a Espanha será o adversário do Brasil nas oitavas, tudo indica.

Kaká não jogou tudo o que pode, mas eu não notei nenhum problema físico nele. A Seleção vai crescer contra a Costa do Marfim. É jogo de maior responsabilidade os jogadores ficam mais ligados. Vai jogar melhor do que jogou ontem, aposto. Vai ter muito mais trabalho, também, a Costa do Marfim é uma seleção bem perigosa.

E, finalmente, a seleção vai “controlar” o jogo contra Portugal, como fez a Argentina contra a Nigéria.

Dunga é meio maluco, mas não é burro. Tem o grupo na mão, fechado por um objetivo. Pode dar errado, claro, mas tem tudo para dar certo. Agora não dá mais para pensar em Ganso, Neymar, Ronaldinho Gaúcho e cia. O time é esse aí, fazer o quê, né?

Agora, como disse no título, futebol não é uma ciência exata. É, como um dia disse Pelé, “uma caixinha de surpresas”, um acontecimento inesperado pode atrapalhar, ou ajudar o Brasil.

Torço para que dê certo. E acredito.

Familia da Coreia do Norte

Foto nada a ver, só para não ficar um texto sem foto. Abraço!

Anúncios

10 Responses to Futebol não é uma Ciência Exata.

  1. Dominique Marinho disse:

    Fabi,gostei muito do seu comentário,apesar de não entender nada de futebol,acho que você esta totalmente certo.
    Beijos, Domi.

  2. Raul Portugal disse:

    Fabi,
    Concordo com sua bela análise. Contudo, tomo a liberdade para acrescentar minha percepção sobre o futebol jogado nesta Copa, onde as seleções estão mais preoculpadas em se defender, ou seja, não levar gols do que atacar. Ora, o objetivo do jogo é fazer gols “que é o grande momento do futebol”.
    Mudando de assunto, não há torcida da Coréia do Norte, são chineses pago pela ditadura para torcer, já que os cidadãos daquele país não podem viajar ao exterior…
    beijunda no coração,
    Raulitz

    • LFmarinho disse:

      Prezado professor Raul, eu conheço bem a triste situação da Coréia do Norte, onde a palavra liberdade, significa esperança. Mas existem coreanos do norte que um dia conseguiram fugir do país. Lá fora, encontrei uma família inteira que mora aqui na África do Sul, conversamos bastante em inglês, eles morrem de medo de dar qualquer tipo de declaração, sempre se esquivam de perguntas diretas sobre o regime. Um repórter da Jovem Pan tentou de todo jeito tirar alguma coisa mas eles ficaram de bico calado.

  3. Bernardo disse:

    Análise perfeita! Concordo e assino embaixo. Demorei a aceitar o Dunga e acho que a crítica tem sido muito exagerada. O time vai melhorar aos poucos.

    um abraço

  4. Jeanne disse:

    Luiz,

    Eu gostei bastante do seu comentário mas, acreditava que a Seleção Brasileira fosse jogar com mais raça. Certamente não deveria esperar muito já que o “estilo dunguiano” é este. Vamos esperar assim como você mesmo diz, contra a Costa do Marfim que tem uma boa defesa!
    Abraços,

    • LFmarinho disse:

      Contra a Costa do Marfim vai ser bem mais difícil, não tenho a menor dúvida. O time vai ter que jogar muito mais do que jogou. Mas eu não achei que eles jogaram sem raça, achei que jogaram para o gasto. Na conta do chá, sem se desgastar.

  5. duda disse:

    Estou na terra do ti san / houston e ontem usa jogou. Nos jornais eles escreveram incontaveis paginas (meia pagina) e a outra meia pagina era para explicar sobre impedimento pq os americanos do norte não entendem / entenderam nada.
    Outro comentario q chamou mto minha atencao (e combina com q raul falou) eh q diabo d jogo e este chamado “soccer” q o unico objetivo eh fazer gols mas todos jogam atras da linha d meio campo ??? Realmente não consegui explicar (sendo brasileiro) como, pior, não consigo entender. Bjs duda

  6. Alexandre Fontenelle disse:

    Cada um pode avaliar o desenpenho de um jeito, o fato é que deve haver um padrão, no caso o padrão Dunga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: